segunda-feira, 10 de maio de 2021

TRE-BA adota Business Intelligence para aprimorar gestão

Painéis criados com essa ferramenta de gerenciamento de dados foram desenvolvidos pelo Tribunal Regional Eleitoral de Goiás, que está contribuindo com seu processo de implantação no Regional baiano


Para aperfeiçoar o gerenciamento de dados estratégicos e, consequentemente, aprimorar sua gestão, o Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) acaba de adotar uma ferramenta de Business Intelligence (B.I.) com o apoio do Laboratório de Inovações do Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO). Iniciando o seu processo de implantação, uma equipe composta por oito especialistas do Regional goiano está instruindo técnicos e analistas do TRE-BA. O trabalho teve início nesta segunda-feira (10/05) e segue até o próximo dia 18.

A colaboração institucional foi solicitada pelo presidente do TRE-BA, desembargador Roberto Maynard Frank, e atendida pelo desembargador Leandro Crispim, presidente do TRE-GO, que tem compartilhado os painéis da solução tecnológica B.I. desenvolvidos pela equipe da Assessoria de Apoio à Governança e Gestão Estratégica da Justiça Eleitoral de Goiás.

Coordenador de Planejamento Estratégico da Diretoria-Geral do TRE goiano, José Carlos da Silva explica que o projeto “nasceu dentro da DG com a criação de painéis chamados dashboards dinâmicos digitais, que atualizam as informações até oito vezes por dia, o que facilita a administração. Eu diria que trata-se de nova cultura, que é a de tomar decisões com base nos dados que existem nos sistemas estruturantes dos Tribunais”.

De acordo com José Carlos da Silva, idealizador e criador do projeto, com os dados na palma da mão, os trabalhos podem ser realizados com mais agilidade e precisão. “A instalação desses painéis cria uma liberdade que o gestor antes não tinha por estar escravo da falta de informações”, pontua, ao explicar que os dados são processados dentro dos painéis em três níveis: estratégico, tático e operacional. Como os dados se referem a cada estado, seu cruzamento confere personalidade e customização para cada realidade.

Dinâmica da implantação

A ideia é que a carga horária diária do desenvolvimento seja de oito horas. Entretanto, isso pode variar. “Esse horário pode ser ampliado ou suprimido. Há muitos elementos que compõem a fase de desenvolvimento. Então, tudo aquilo que a gente pode antecipar, normalmente, a gente antecipa. Por exemplo, tivemos um contato prévio com TRE-BA, através da secretária-geral da Presidência, Maria Thaís Pinheiro Habib, e do secretário de Planejamento de Estratégia e de Eleições, Victor Araújo Xavier. Já adiantamos uma série de coisas para otimizar nossa visita”, pontua o coordenador ao afirmar que pretende apresentar os resultados do desenvolvimento antes de retornar a Goiás com a equipe designada para este trabalho composta por quatro desenvolvedores, dois analistas de negócio, um programador e um estatístico, além dele.

O que é Business Intelligence?

É uma ferramenta de gestão utilizada para acompanhamento e monitoramento de informações orçamentárias, administrativas e estratégicas que, no âmbito do Poder Judiciário, contribui para o aperfeiçoamento da atividade jurisdicional.

No ano passado, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) decidiu, por meio da Resolução nº 333/2020, que os tribunais devem destacar dados estatísticos em seus portais por meio da ferramenta B.I. A ideia é, por exemplo, facilitar o acesso às informações consolidadas pelos órgãos do Poder Judiciário para a tomada de decisões com base em dados atuais, confiáveis e disponíveis em um mesmo espaço, além de conferir ainda mais transparência aos seus atos. Até o momento, a equipe do TRE-GO já desenvolveu os painéis no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e pelos TREs de Goiás, Bahia, Mato Grosso, Piauí e Roraima.

DP

Nenhum comentário:

Postar um comentário