quinta-feira, 12 de novembro de 2020

Presidente do TRE-BA fala em avanço gradual das mulheres na política

Bate-papo foi mediado por Carla Bittencourt, jornalista da Assessoria de Comunicação do TRE-BA



O presidente do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA), desembargador Jatahy Júnior, reuniu-se nesta quinta-feira (12/11) com representantes femininas da imprensa baiana para discutir a participação da mulher na política. O bate-papo foi mediado por Carla Bittencourt, jornalista da Assessoria de Comunicação (ASCOM) do TRE-BA e contou com a participação de Cláudia Cardozo, repórter do Bahia Notícias; Hilza Cordeiro, repórter do Correio*; Tarsilla Alvarindo, apresentadora do programa Azeviche, da TV Câmara de Salvador e repórter da TV Itapoan; e de Silvana Oliveira, diretora de Jornalismo na Rádio Sociedade da Bahia.

Na ocasião, o desembargador falou sobre a conquista de espaço das mulheres na política e no Poder Judiciário. “Há uma evolução, mas temos ainda por avançar, sou bastante otimista. Já podemos verificar que a sociedade vem amadurecendo nesta esfera. Espero que os passos sejam mais largos para aumentar essa participação”. 

Na conversa, as jornalistas apontaram para a importância da promoção de campanhas a fim de inspirar mulheres a se candidatarem. Sobre o tema, o presidente afirmou que o Poder Judiciário tem orientado e incentivado ações de fomento a participação do gênero.

“Estou há quase dois anos na presidência do Tribunal e fiz uma equipe em que o gênero feminino aparece com maior preponderância. Escolhi principalmente pela capacidade e competência. São muitas servidoras na Justiça Eleitoral e grande parte desse quadro é composto por mulheres”.

O Tribunal Regional Eleitoral da Bahia é composto por maioria feminina. Se suas nove secretarias, sete são chefiadas por mulheres. Das 19 coordenadorias, 11 têm liderança feminina.

Candidaturas

Em 2020, candidaturas femininas bateram recorde nas eleições municipais, havendo um aumento de 17,08% em relação a 2016. De acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) são mais de 180 mil concorrendo a cargos de prefeitas e vereadoras no país. Na capital baiana, Salvador, o número de mulheres candidatas é de 509. Apesar do percentual, ainda são minoria, considerando o total de candidaturas: 13% nas prefeituras e 34,4% nas câmaras municipais.

Para o presidente, é preciso evoluir para que nas nossas casas legislativas também tenham essa reserva de vagas. “Eu defendo que não só se garanta um percentual mínimo de candidaturas nos partidos, que é de 30%, mas deveria avançar para que as casas legislativas do país também tenham esse número mínimo de cadeiras garantidas às mulheres”.

As jornalistas também demonstraram preocupação com mulheres sendo lançadas como candidatas laranja nas eleições e com a desigualdade na distribuição de recursos financeiros de campanha eleitoral. “Os partidos deveriam ser mais controlados nesse tipo de distribuição dos recursos. A Justiça Eleitoral tem a competência jurisdicional e cabe ao TRE e ao TSE examinar, punir e processar todos os excessos, principalmente, em razão do preconceito de gênero”.

O evento faz parte do projeto Politiza Mulher. A iniciativa é do desembargador Jatahy Júnior, organizado pela ASCOM, em parceria com a Secretaria de Gestão de Pessoas (SGP) e ocorre em conformidade com a Resolução nº 255/2018, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que institui a Política Nacional de Incentivo à Participação Institucional Feminina no Poder Judiciário.

TF

Nenhum comentário:

Postar um comentário