quarta-feira, 30 de setembro de 2020

“Nem tudo a gente tem que fazer em troca de moeda, acredito que o que eu faço é pelo bem de todos”

Mesária da 7ª zona eleitoral, em Salvador, a assistente social Maria Aparecida Bezerra fala sobre as votações no contexto de pandemia; ela está entre os cinco homenageados pelo TRE-BA com a Medalha do Mérito Eleitoral 

Quando colaborou com a Justiça Eleitoral pela primeira vez, em 1989, a assistente social Maria Aparecida Bezerra tinha 30 anos e exerceu a função de escrutinadora. “Na época, a votação ainda era em cédulas de papel e a contagem de votos costumava avançar pela madrugada. A gente ia até duas, três da manhã”, lembra. Em 2020, 31 anos depois dessa primeira experiência, Maria estará entre os cinco mesários homenageados pelo Tribunal Regional Eleitoral da Bahia com a Medalha do Mérito Eleitoral. 

A honraria será concedida pelo presidente do TRE-BA, desembargador Jatahy Júnior, em cerimônia realizada em 5/10, às 10h, na sala de sessões do Regional, no Centro Administrativo da Bahia, em Salvador. Para o presidente, de quem partiu a ideia da homenagem, esse é um reconhecimento e incentivo do TRE-BA para aqueles que vem construindo uma história de parceria com o órgão e que se voluntariaram como mesários nas Eleições Municipais de 2020, que acontecerão em meio à pandemia de coronavírus. 

Mesária da 7ª zona eleitoral, em Salvador, Maria Aparecida conta que tudo começou quando ela trabalhava na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-BA) e foi indicada para trabalhar pela servidora Rose de Bragança Lopes, na época, lotada na 6ª ZE. Desde então, a assistente social nunca deixou de colaborar. “Acolher o eleitor é algo que faço com prazer”. 

Sobre as votações acontecerem em meio à pandemia, Maria Aparecida se diz cautelosa, mas compreende a importância de sua atuação. “Eu me preocupo, sim, mas também muito com quem o eleitor vai escolher para mediar questões em áreas fundamentais, como saúde, educação, saneamento básico e infraestrutura. Acredito que, nessas eleições, devemos estar mais atentos às propostas da saúde, por conta do vírus”. 

A mesária, que também é voluntária na Frente Democrática em Defesa do SUS, acredita que essas ações são essenciais à sua cidadania. “Nem tudo a gente tem que fazer em troca de moeda. Eu acredito que o que eu faço é pelo bem de todos. Foi uma boa surpresa saber dessa medalha, acho que é um merecimento e um reconhecimento”. 

Para Tânia Cardoso, chefe da 7ª ZE, os mesários são a maior força de trabalho de uma eleição, colaboradores essenciais ao processo eleitoral. “Com esse serviço, eles garantem o sigilo do voto e a plena liberdade de escolha do eleitor, contribuindo para a consolidação da democracia e assegurando a legitimidade do processo eleitoral”. 

A servidora considera a concessão da Medalha do Mérito Eleitoral um reconhecimento. “É uma atitude muito honrada e respeitada do presidente Jatahy ao homenagear os mesários por um serviço tão importante que é prestado à sociedade”. 

Medalha do Mérito Eleitoral da Bahia

Medalha do Mérito Eleitoral da Bahia é oferecida àqueles que tenham contribuído destacadamente para o engrandecimento, eficiência e respeitabilidade da Justiça Eleitoral do estado e do país. 

Seja mesário também

Para ser mesário, o eleitor deve ser maior de 18 anos e estar em situação regular com a Justiça Eleitoral. Entre as exceções, estão candidatos e parentes, até o segundo grau, ainda que por afinidade, inclusive o cônjuge; membros de diretórios de partidos políticos com função executiva; autoridades, agentes policiais e funcionários no desempenho de funções de confiança do Executivo, além de funcionários do serviço eleitoral.

Este não é um trabalho remunerado. O mesário recebe auxílio-alimentação no 1º turno e, se houver, no 2º turno das eleições, e tem direito a: dois dias de folga para cada dia trabalhado na função; dois dias de folga para cada dia de treinamento oferecido pela Justiça Eleitoral; certificado dos serviços prestados à Justiça Eleitoral; e preferência no desempate em concursos públicos (desde que previsto em edital). Para universitários de instituições conveniadas, as horas trabalhadas valem como atividade extracurricular.

Nenhum comentário:

Postar um comentário