quinta-feira, 27 de agosto de 2020

Juiz cooperador, Henrique Trindade, participa de evento sobre representação feminina na política

Na ocasião, o juiz representou o presidente do TRE-BA, desembargador Jatahy Júnior; evento teve o objetivo de propor aos partidos políticos a ampliação da representação feminina nas Casas Legislativas



O juiz cooperador do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA), Henrique Trindade participou, como convidado, do evento de assinatura do Protocolo de Intenções, promovido pela Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres (SNPM), órgão vinculado ao Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. O encontro ocorreu na tarde desta quinta-feira (27/8), por videoconferência. Na ocasião, o juiz representou o presidente do Regional, desembargador Jatahy Júnior. 

O Protocolo de Intenções tem o objetivo de propor aos partidos políticos a ampliação da representação feminina nas Casas Legislativas, com a inserção de, pelo menos, 01 mulher em cada Câmara Municipal nas Eleições 2020. Na avaliação do juiz cooperador, a assinatura do termo demonstra o interesse e compromisso das agremiações e da sociedade. “Importante e fundamental iniciativa, uma vez que, apesar de representar mais de 50% da população e do eleitorado brasileiro, as mulheres ainda ocupam pouco espaço na política”, afirmou. 

Trindade lembrou que a Justiça Eleitoral também tem desenvolvido ações voltadas à participação feminina da política e no Judiciário, a exemplo do projeto Politiza Mulher. “O TRE-BA, sob a liderança do desembargador Jatahy Júnior, tem demonstrado preocupação em divulgar os caminhos para que as mulheres possam ingressar na política, disputando já esse ano as cadeiras dos legislativo e executivo dos 417 municípios baianos”. 

O Politiza Mulher é uma iniciativa do presidente do Eleitoral baiano, organizado pela Assessoria de Comunicação Social (Ascom), em parceria com a Secretaria de Gestão de Pessoas (SGP), e ocorre em conformidade com a Resolução Nº 255/2018, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que institui a Política Nacional de Incentivo à Participação Institucional Feminina no Poder Judiciário.

TF

Nenhum comentário:

Postar um comentário