terça-feira, 19 de maio de 2020

TRE-BA é destaque na prestação de serviços durante a pandemia com a virtualização de computadores

Eleitoral baiano mantém atendimento ao público e prestação jurisdicional adotando tecnologia que permite a magistrados, servidores e colaboradores atuarem de casa 

Destaque na prestação jurisdicional nos rankings do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o Tribunal Regional Eleitoral da Bahia mantém os serviços prestados ao público, mesmo depois de ter suspendido as atividades presenciais por causa do coronavírus. Com a virtualização dos desktops, o TRE-BA segue na ativa, com magistrados, servidores e colaboradores atuando de casa para contornar a crise instalada em ano de eleições municipais. 

A solução encontrada pela Secretaria de Tecnologia da Informação (STI) para fortalecer o teletrabalho foi utilizar máquinas virtuais, com acesso através de VPN (Rede Privada Virtual), o que tem garantido a prestação jurisdicional, o andamento de processos prioritários e o pagamento de fornecedores, áreas consideradas essenciais. Em apenas uma semana, os equipamentos, o portal de acesso aos desktops virtuais e os sistemas de gerenciamento foram instalados, em um trabalho conjunto das unidades da STI. A alternativa tecnológica passou a funcionar em 23 de março. 

O resultado é que o Eleitoral baiano segue atuante, ainda que a sede e os cartórios estejam fechados. “A consequência imediata dessa solução é que quase não houve interrupção do serviço. A resposta foi rápida e o TRE-BA tem conseguido realizar o que é necessário em uma situação emergencial”, observa o chefe da Seção de Infraestrutura Tecnológica (SEINFRA), Marco Vídero. Atualmente, 705 colaboradores, entre magistrados, servidores, terceirizados e estagiários estão habilitados a utilizar esses recursos tecnológicos. 

Sustentabilidade 

A montagem da estrutura de computadores virtuais também foi uma solução sustentável. Isso porque a STI utilizou máquinas que já pertenciam ao Tribunal e que haviam sido substituídas recentemente. Após seis anos de uso, essas máquinas já não possuíam garantia ou suporte e muitas apresentavam defeito. Ainda assim, foi possível reunir as peças em condições de uso e montar quatro equipamentos que permitiram a implantação da solução. 

Outro destaque é que toda a estrutura opera com software livre. Ou seja, essa alternativa para o trabalho remoto no TRE-BA foi implementada sem custo adicional para o Tribunal. A solução também viabilizou o acesso remoto a todos os sistemas e serviços de TIC disponíveis no Eleitoral baiano. Ainda não há recursos para que todos utilizem os computadores virtuais ao mesmo tempo, mas, com uma escala de horários, os servidores têm se revezado e conseguido cumprir suas demandas. O TRE-BA já operou com até 180 máquinas simultaneamente. 

Vídero explica que a solução tem uma inteligência que permite que a memória que não está sendo utilizada por uma máquina virtual seja entregue a outro usuário. Ele faz uma analogia com uma caixa de lápis de cor. “Vamos supor que todos estejam desenhando e só há uma caixa. Um precisa do verde e o vermelho, que fica ali sobrando, é disponibilizado para o outro, assim o trabalho é realizado”. 

Nova realidade 

A virtualização dos desktops foi uma solução emergencial, implantada com os recursos disponíveis no momento, mas a STI tem mantido diálogo inclusive com outros TREs sobre mudanças na infraestrutura. “Há um consenso de que o trabalho remoto será uma constante a partir de agora, inclusive com estudos para normatizá-lo”, afirma Marco Vídero. 

A secretaria de Tecnologia do TRE-BA está agora estudando soluções definitivas, inclusive para contornar as limitações.

CB

Nenhum comentário:

Postar um comentário