domingo, 2 de outubro de 2016

Eleições 2016: auditoria por votação paralela transcorre com tranquilidade

Procedimento é aberto ao público e acontece no auditório do TRE da Bahia, localizado na 1ª Avenida do CAB, nº 150 


Em paralelo às Eleições Municipais 2016, acontece, no auditório do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA), a auditoria por meio de votação paralela. O procedimento ocorre em cinco urnas eletrônicas sorteadas na véspera do pleito. Até o momento, a votação paralela transcorre dentro da normalidade. O processo é aberto ao público e é acompanhado pelo Ministério Público (MP), representantes de partidos e coligações, auditores independentes e sociedade civil. A duração segue ao período da votação oficial (das 8h às 17h).  


A votação paralela está sendo realizada em cinco urnas eletrônicas, sendo uma da capital (16ª zona eleitoral, seção 095) e quatro no interior do estado: Aracatu (90ª zona eleitoral, seção 010), Igrapiúna (32ª zona eleitoral, seção 168), Lajedo do Tabocal (37ª zona eleitoral, seção 83) e Teodoro Sampaio (130ª zona eleitoral, seção 097). 

Metodologia

A votação paralela tem o objetivo de atestar a confiabilidade da urna eletrônica. Para o processo, são utilizadas cédulas de papel previamente preenchidas com dados reais dos candidatos dos municípios originais das urnas. Na tarde de ontem (1º/10), as cédulas foram preenchidas por 25 universitários, inseridas na urna de lona e computadas. Hoje (2/10), durante a votação paralela, as informações contidas nessas cédulas são, ao longo do dia, digitadas, uma a uma, nas urnas eletrônicas previamente sorteadas. Ao final do processo, o resultado da votação das urnas eletrônicas será comparado com o resultado obtido na votação por urna de lona. Esse comparativo deverá resultar em números idênticos. 

Matéria: Lorena Costa

Nenhum comentário:

Postar um comentário